Ucrânia: Josep Borrell apoia Kiev em plena crise com Moscou

O chefe da diplomacia europeia, Josep Borell, começa hoje uma visita de dois dias à Ucrânia numa altura em que a NATO confirma uma reunião com a Rússia a 12 de Janeiro. 

Logo a 10 de Janeiro Genebra acolhe uma reunião entre responsáveis americanos e russos sobre segurança.

Logo a seguir, a 12, está agendado um Conselho NATO Rússia, uma instância de consulta em Bruxelas e, no dia seguinte, em Viena, reúne-se a Organização para a segurança e cooperação incluindo os Estados Unidos e aliados da NATO, mas também a Rússia, a Ucrânia e outros antigos Estados soviéticos.

Em causa vai estar, inevitavelmente, a questão das tropas russas estacionadas junto à fronteira ucraniana e os rumores de uma eventual invasão das tropas da Rússia à Ucrânia, cenário, porém, desmentido por Moscovo.

É neste cenário que Josep Borrell deve apoiar Kiev nas suas aspirações em aderir à NATO.

Ora para a Rússia é fundamental que a Aliança atlântica prescinda de novas adesões a leste e, nomeadamente, da Ucrânia.

Borrell desloca-se até à linha da frente com os separatistas pró russos por forma a exprimir o apoio dos 27 à integridade territorial ucraniana.

Esta visita visa, pois, testemunhar o apoio dos 27 em plena crise com a Rússia.

No entender do eurodeputado português Paulo Rangel a chantagem russa seria inaceitável, ele advoga, porém, um modelo de neutralidade militar semelhante ao que a Áustria e a Finlândia tiveram no período da Guerra Fria. *RFI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: