O ciclone ‘Freddy’  continua a atingir o sul da África. Desta vez, o fenômeno meteorológico ceifou a vida a pelo menos 190 pessoas no Malawi , país de 20 milhões de habitantes que faz fronteira com a Zâmbia, Tanzânia e Moçambique

Segundo um novo balanço oferecido pelo governo do Malawi, nas últimas horas, “o fenômeno provocou inundações e deslizamentos de terra”.

Por seu lado, o Gabinete de Gestão de Desastres da nação afetada indicou através de um comunicado: “O número de mortos aumentou de 99 para 190, com 584 feridos e 37 desaparecidos”.

“’Freddy’ é uma das tempestades mais fortes já registradas no hemisfério sul, que deixou um rastro de destruição em massa em nossa área. Alertamos a população”, destaca o relatório .

Perante a tragédia, o Presidente do Malawi, Lazarus Chakwera, declarou “estado de calamidade” na Região Sul, decisão que já levou mais de 19 mil pessoas a deixarem as suas casas.

“Moçambique e Malawi estão entre os países menos responsáveis ​​pelas alterações climáticas, mas enfrentam toda a força das tempestades que se intensificam devido ao aquecimento global impulsionado, sobretudo, pelas emissões de carbono das nações mais ricas”, afirmou o director interino da Amnistia Internacional na África Oriental, Tigere Chagutah. *NTN24