Juscelino Filho, ministro das Comunicações do Brasil, está sendo investigado por um suposto caso de corrupção , colocando o governo Lula da Silva na corda bamba.

Segundo apuração do Metrópoles , diversas movimentações do ex-deputado o colocaram sob a mira da Justiça brasileira.

A primeira delas , uma viagem a São Paulo na qual teria dedicado grande parte do tempo a atividades pessoais como apostas, leilões e corridas de cavalos.

Apesar de Filho não ter praticado nenhuma atividade ilegal ao comparecer a esses eventos, fala-se que ele gastou grandes quantias de dinheiro público com isso.

Por outro lado, o ministro teria pressionado a Codevasf, empresa estatal, a enviar milhões de reais para uma empresa questionável.

Essa é a empresa Engefort, ligada a políticos corruptos e criminosos.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva falou sobre o caso e garantiu que Filho “tem o direito de provar sua inocência”, porém, esclareceu que, caso contrário, deixaria o gabinete.

“Tentei falar com o Juscelino esta semana (…) Ele tem o direito de provar a inocência. Mas se não provar a inocência, não pode ficar no governo”, disse Lula da Silva .

O presidente assumiu a presidência em 1º de janeiro. Foi a terceira vez que assumiu o cargo, depois de ter governado o país por dois mandatos consecutivos entre 2003 e 2010.

Após as palavras do presidente, o funcionário se pronunciou em sua conta no Twitter e garantiu que as acusações contra ele são “infundadas”:

“Prometo esclarecer ao presidente Lula todas as acusações infundadas da imprensa. Reitero que não houve irregularidades nas referidas viagens e que tudo está devidamente documentado. Agradeço também a oportunidade de ser ouvido com imparcialidade e serenidade”, disse. *NTN24