Declaração do Embaixador israelense, Gil Artzyeli, ao final da reunião com o Subsecretário Minrel do Ministério das Relações Exteriores

Uma tensão diplomática entre Israel e Chile foi gerada nas últimas horas depois que o presidente chileno, Gabriel Boric, se recusou a receber as credenciais do novo embaixador israelense, Gil Artzyeli .

O embaixador estava marcado para quinta-feira (15) no Palácio de la Moneda, mas o presidente Boric recusou-se a recebê-lo quando o funcionário já estava no local para o ato de posse . 

Segundo a chancelaria chilena, a nomeação foi adiada para a segunda semana de outubro devido à sensibilidade que existia naquele dia após a morte de um menor na Faixa de Gaza. 

“Não é que ele tenha sido suspenso, mas que ele foi solicitado a adiar uma vez que ocorreu um incidente com crianças em Gaza ”, disse o Ministério das Relações Exteriores à agência de notícias local Ex-Ante. 

Por outro lado, o ato foi rejeitado pela Comunidade Judaica do Chile, que expressou seu descontentamento com o presidente Boric. 

“Diante do grave incidente diplomático em que o presidente Gabriel Boric não recebeu as credenciais de Gil Artzyeli, a comunidade judaica manifesta seu repúdio. É uma ofensa à amizade de mais de 70 anos entre Chile e Israel. Aguardamos a retificação” , afirmou a Comunidade Judaica do Chile em sua conta no Twitter. 

Horas após o incidente, o Ministério das Relações Exteriores do Chile decidiu convocar o futuro embaixador às 16h. 

“Tivemos uma longa reunião, que durou mais de uma hora, na qual eles pediram desculpas repetidamente a mim e ao Estado de Israel, e abrimos uma nova página”, disse Artzyel ao final da reunião.

De acordo com a Agência de Notícias Judaica, não está descartado que o governo de Israel apresente um protesto diplomático sobre o incidente. Além disso, indica que, durante sua campanha, Gabriel Boric havia expressado que Israel era “um estado genocida e assassino”. 

Enquanto isso, o presidente Boric recebeu as credenciais dos novos embaixadores credenciados no Chile: Tomas Wiklund da Suécia, Christian de Lannoy da Bélgica, Irmgard Maria Fellner da Alemanha, Markus Dutly da Suíça e Khalid Al Salloom da Arábia Saudita. *NTN24

Publicidade