Premiê do Japão expressa disposição em agir por reforma da ONU e do Conselho de Segurança

O primeiro-ministro do Japão, Kishida Fumio, expressou disposição em realizar esforços em prol de uma reforma tanto das Nações Unidas como do Conselho de Segurança.

Nesta semana em um comitê do Parlamento, Kishida respondeu a perguntas sobre a agressão russa contra a Ucrânia.

Um parlamentar apontou que perdeu-se a confiança na Rússia diante da situação com a Ucrânia. Ele se referiu a uma proposta anterior feita pela França que poderia conter o direito a veto dos membros do Conselho de Segurança da ONU em caso de atrocidades em massa.

Kishida afirmou que a revoltante investida por parte da Rússia, que é membro permanente do Conselho de Segurança, mostra a necessidade de uma nova estrutura para a ordem internacional.

O premiê disse que o Japão sempre considerou que o direito a veto deve ser utilizado com a maior cautela possível.

Kishida disse que gostaria de dar continuidade a esforços para a reforma da ONU e do Conselho de Segurança, junto de outros países que também buscam por mudanças, como a França.

O primeiro-ministro disse que a situação na Ucrânia o fez perceber mais uma vez a importância da aliança nipo-americana e dos laços do Japão com outros países.

Kishida destacou a importância do comprometimento americano em oferecer uma extensão de forças de dissuasão ao Japão. E ressaltou que o Japão deve considerar profundamente o fortalecimento de suas capacidades de defesa, seja por meio de uma revisão de suas políticas nacionais de segurança e de defesa, bem como por outros meios. *NHK

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: