Líder dissidente da Nicarágua preso sob Ortega morre na prisão

Líder dissidente da Nicarágua preso sob Ortega morre na prisão

O ex-guerrilheiro Hugo Torres Jimenez, um dos 46 opositores presos desde o ano passado pelo governo nicaraguense do presidente Daniel Ortega, morreu no sábado (11), informou sua família em comunicado.

Ele tinha 73 anos.

O comunicado ofereceu poucos detalhes sobre a morte de Torres, mas expressou a “profunda dor de seus filhos pela morte de nosso amado pai”. Foi divulgado pela coalizão de oposição Unidade Nacional Azul e Branca (UNAB), da qual Torres era membro.

Ex-dissidente sandinista, Torres estava detido desde 13 de junho de 2021 na prisão de El Chipote , antes de ser transferido em dezembro para um hospital para tratamento, disseram fontes.

Torres havia sido vice-presidente da oposicionista União de Renovação Democrática (Unamos), anteriormente o Movimento de Renovação Sandinista, criado em 1995 por militantes descontentes com a liderança de Ortega.

General do Exército aposentado, Torres em 1974 empreendeu uma operação arriscada para libertar um grupo de políticos presos – incluindo Ortega – sob a ditadura de Somoza.

Mas Ortega, que se tornou cada vez mais ditatorial como presidente e como chefe da Frente Sandinista de Libertação Nacional, acusou dezenas de figuras da oposição de conspirar contra seu governo com o apoio dos EUA.

Torres foi saudado no sábado como um “herói” pela ex-guerrilheira e dissidente sandinista exilada Monica Baltodano.

Ela disse ao site de notícias 100% Noticias que Torres era “um verdadeiro herói das lutas contra as ditaduras que dominaram a Nicarágua – a ditadura de Somoza e agora a ditadura de Ortega, que é uma ditadura brutal e criminosa”.

Unamos em janeiro havia relatado que a saúde de Torres estava se deteriorando e exigiu detalhes do governo. Não ofereceu nenhum.

A Organização dos Estados Americanos, com sede em Washington, disse que “considera o fato de manter presos políticos, com doenças terminais e sem assistência médica necessária, um ato abominável”.

O alto comissário da ONU para os Direitos Humanos disse que durante meses Torres foi “negada a liberdade em condições desumanas e submetida a um processo legal sem garantias”.

Torres foi uma das 46 figuras da oposição detidas no ano passado, a maioria antes das eleições de novembro, nas quais Ortega foi reeleito para um quarto mandato consecutivo. Entre os 46 estavam sete que planejavam concorrer contra Ortega.

Todos foram acusados ​​de minar a integridade nacional e promover a interferência estrangeira na Nicarágua.

Dezoito foram considerados culpados nas últimas duas semanas e sete foram condenados a penas de prisão que variam de oito a 13 anos. *AFP/France24

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: