Londres quer ajudar Paris a patrulhar costa francesa

O governo britânico propôs às autoridades francesas patrulhas policiais conjuntas na costa francesa, ao longo do Canal da Mancha, após o naufrágio de uma embarcação de migrantes que fez 27 mortos.

O governo britânico ofereceu à França, esta quinta-feira, patrulhas policiais conjuntas na costa francesa, um dia após a morte de 27 migrantes num naufrágio no canal da Mancha,

Ontem à noite, durante uma conversa telefónica, Boris Johnson e o Presidente francês Emmanuel Macron concordaram em “intensificar os esforços” e “manter todas as opções em cima da mesa” para combater as redes de tráfico de migrantes que organizam as travessias ilegais do Canal.

O secretário de Estado britânico da Imigração , Kevin Foster, enfatizou que Londres está pronta para oferecer às autoridades francesas “meios” adicionais além da ajuda financeira, como helicópteros, como os que foram usados, quarta-feira, na operação de resgate dos migrantes. 

Kevin Foster indicou que a ministra do Interior, Priti Patel, vai reunir-se com o seu homólogo francês, Gerald Darmanin, para debater o assunto.

A questão das travessias ilegais é delicada para o governo conservador de Boris Johnson, que fez da luta contra a imigração uma das prioridades durante o Brexit.

Depois da reunião de crise, Boris Johnson apontou o dedo aos franceses, salientando que eles não fizeram “o suficiente” para impedir as travessias, apesar do auxílio de mais de 60 milhões de euros para fortalecer a vigilância da costa.

“O que propomos é aumentar o nosso apoio, mas também trabalhar com os nossos parceiros nas praias em causa”, declarou.

Em declarações ao canal de televisão BBC, o deputado de Pas-de-Calais, Pierre-Henri Dumont, do partido os Republicanos, classificou o reforço das patrulhas de praia como uma solução “irrealista”, pedindo aos dois governos que encontrem “soluções reais”, para os migrantes. 

“É mesmo o momento de apontar o dedo? (…) Não é o momento de lutarmos juntos contra esses traficantes?”, reagiu o deputado francês Bruno Bonnell, do partido LREM do Presidente Macron.

“Das 30.000 pessoas que tentaram atravessar o Canal, 60% foram presas. Isso acontece à noite em pequenas praias. A polícia não pode estar em todos os lugares, sejamos realistas”, disse Bruno Bonnell à Sky News. *RFI

Categorias:Internacional

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.