Venezuela: Juan Gaidó apela à união da oposição

Os resultados das eleições municipais e regionais, deste fim-de-semana, são um duro golpe para a oposição venezuelana, depois de o governo de Nicolas Maduro ter vencido em 20 dos 23 estados.

O líder opositor venezuelano, Juan Guaidó, disse que os resultados eleitorais “são um compromisso ainda maior” para a oposição, que deve manter-se unida, unificada, para responder à crise que se vive no país”.

Por seu lado, o  Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, atribuiu a vitória nas eleições regionais e municipais, de domingo, à perseverança e consciência dos eleitores, anunciando que convocará o Conselho de Governo, no qual espera que participem também os opositores eleitos.

O sucesso de Nicolas Maduro

O sucesso do partido de Maduro,Partido Socialista Unido da Venezuela, pode explicar-se pela base eleitoral real, 20 a 25% dos 30 milhões de venezuelanos. No entanto, muitos analistas referem que este resultado eleitoral se explica com a fragmentação da oposição.

Nestas eleições, havia um total de 70.000 candidatos, 3.000 para o partido no poder (em fileiras próximas) e 65.000 para os vários partidos da oposição. Em muitas regiões, os resultados acumulados dos vários candidatos da oposição superam os resultados do candidato do PSUV. A oposição paga caro a divisão e falta de disciplina. 

Outro fato determinante nestas foi o fato das autoridades terem feito concessões, negociando com a oposição desde o verão passado.

Quase 60% de abstenção

Quase seis em cada dez venezuelanos não foram votar, este domingo, a legitimidade das autoridades eleitas é, portanto, bastante baixa. 

A forte abstenção ficou a dever-se ao apelo de boicote por parte da oposição e ao desalento da população que está mais preocupada em pagar as contas, numa altura em que a inflação atinge níveis históricos no país.

Washington fala em resultado “amplamente distorcido”

Os Estados Unidos acusaram, na segunda-feira (22), o Presidente venezuelano Nicolás Maduro de ter “distorcido amplamente” as eleições regionais e locais de domingo, que a seus olhos não foram livres nem justas. “O regime de Maduro mais uma vez privou os venezuelanos de seu direito de participar de um processo eleitoral livre e justo”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros dos Estados Unidos, Antony Blinken, em comunicado. *RFI

Categorias:Américas, Política

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.