Reativado o processo de extradição de ´El Pollo´ Carvajal para os Estados Unidos

A Promotoria do Supremo Tribunal Nacional da Espanha recebeu no dia 17 de novembro uma carta da Embaixada dos Estados Unidos com respostas ao pedido de garantias que o tribunal exigia para entrega do ex-chefe de inteligência de Hugo Chávez e Nicolás Maduro, Hugo ´El Pollo´ Carvajal. 

O governo dos Estados Unidos informou que “se Carvajal for condenado por qualquer crime que implique prisão perpétua, ele não estará sujeito a uma sentença de prisão perpétua inalterável, razão pela qual sua sentença será revisada em apelação e ele poderá ser libertado de sua sentença em meio de pedido de perdão ou substituição de pena por outra menor ”.  

Por meio de nota, a embaixada detalha que “se o perdão ou a substituição da pena for concedido de acordo com as leis processuais aplicáveis ​​dos Estados Unidos, isso resultaria em uma redução da pena” para Carvajal. 

Nesse sentido, o Ministério Público “considera que as garantias oferecidas pelos Estados Unidos são suficientes”. Portanto, decidiu iniciar o processo de extradição do militar. 

Chefe dos serviços de inteligência venezuelanos sob a presidência do falecido Hugo Chávez (1999-2013), Carvajal foi preso em setembro em Madrid depois de passar quase dois anos fugido para evitar sua extradição, inicialmente aprovada pelo Tribunal Nacional em novembro de 2019.

Para fugir das autoridades, o general aposentado de 61 anos foi submetido a uma cirurgia estética, usava bigodes e perucas falsas e mudava de endereço a cada três meses, segundo a polícia espanhola.

Depois de ser uma figura importante no chavismo, Carvajal foi repudiado pelo regime de Nicolás Maduro após ter apoiado publicamente a oposição Juan Guaidó, quando se proclamou presidente da Venezuela em fevereiro de 2019.

Depois, partiu de barco para a República Dominicana e depois voou para a Espanha, onde foi preso em abril de 2019 a pedido dos Estados Unidos, que o acusa de ter pertencido com outros altos funcionários de Chávez ao chamado Cartel do Suns, que teria traficado drogas com a ex-guerrilha colombiana das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).

No documento endereçado à Justiça espanhola, Carvajal relata em detalhes como era o envio de dinheiro à Espanha durante a criação do partido de esquerda Podemos.

Carvajal  cita como exemplos “concretos” de beneficiados pelo esquema de financiamento: o ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva; Néstor Kirchner, na Argentina; Evo Morales, na Bolívia; Fernando Lugo, no Paraguai; Ollanta Humala, no Peru; Zelaya, em Honduras; Gustavo Petro, na Colômbia; Movimento Cinco Estrelas, na Itália; e o partido Podemos, na Espanha.

*Com AFP e NTN24

Categorias:Europa, Internacional

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.