FundaRedes pediu a Bachelet para atender o caso de Javier Tarazona e seus colegas

Nesta segunda-feira (9), a ONG venezuelana Fundares pediu a Michelle Bachelet, Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, que prestasse atenção ao caso dos três ativistas dessa organização que estão presos, seu diretor Javier Tarazona, Rafael Tarazona e Omar García.

“Pedimos à Alta Comissária para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, que atenda ao caso dos ativistas FundaRedes. Sua saúde está se deteriorando no Sebin (sede do Serviço Nacional de Inteligência Bolivariano), eles exigem uma medida humanitária. Eles não são criminosos, não cometeram nenhum crime ”, disse Fundaredes em mensagem no Twitter.

Javier Tarazona, diretor da Fundaredes e seus dois colegas foram presos em 2 de julho no estado de Falcón, no oeste do país, e posteriormente acusados ​​pelo Ministério Público de receber instruções do exterior para “atacar” o país e alterar a ordem.

De acordo com o Ministério Público, por trás dos ataques estava uma “intervenção militar estrangeira”, embora não tenha dado detalhes ou provas da acusação.

Tarazona é conhecido por denunciar a presença da guerrilha colombiana no país e foi a voz que denunciou, na ausência de dados oficiais, o conflito que começou em março passado entre as Forças Armadas e dissidentes das FARC no estado de Apure, que durou aproximadamente dois meses com um número de mortos indeterminado.

Tarazona e seus dois companheiros são acusados ​​de incitação ao ódio, terrorismo e “traição”. *NTN24

Categorias:Américas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.