China e os talibãs consolidam aproximação

O ministro das Relações Exteriores chinês, Wang Yi, reuniu-se nesta quarta-feira (27) com uma delegação de nove talibãs afegãos, presidida por um dos fundadores do grupo, o mulá Abdul Ghani Baradar.

A mensagem era clara: a China aceita esta milícia como interlocutor válido e como parte do processo de reconstrução do Afeganistão depois do início da retirada norte-americana.

A reunião na cidade de Tianjin, a segunda que se conhece entre autoridades chinesas e os talibãs desde 2019, aconteceu com toda a pompa que a pandemia do coronavírus permite e com visível satisfação de ambas as partes.

A guerrilha afegã, que já manteve excelentes laços com Pequim durante seu período no poder antes dos atentados de 11 de setembro, obtém um apoio crucial da China que acabe fazendo parte de uma coalizão com o Governo pró-norte-americano —a opção que Pequim diz preferir— ou assuma o poder sozinha.

O Executivo de Xi Jinping consegue, por seu lado, exatamente o que queria: a promessa de que, com o Talibã no poder, o Afeganistão não emprestará seu solo para operações de grupos extremistas contra o país vizinho. *Informações EL País

Categorias:Internacional

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.